Ambiente

A tecnologia WaveRoller está bem posicionada para substituir fontes de produção de energia com impacto ambiental significativo por energia renovável limpa, gerada a partir das ondas do mar. Esta fonte de energia azul, aproveitada pela WaveRoller, não só é menos nociva para o ambiente do que as tecnologias de combustíveis fósseis, mas também apresenta menos riscos do que a energia nuclear e é equiparável, ou até superior, a outras fontes de energia renovável. Contudo, e uma vez que ainda há poucos dados sobre o seu desempenho para avaliar por completo o impacto ambiental do WaveRoller, continuamos a monitorizar, a avaliar e a rever os dados sobre as interações entre os dispositivos e o meio envolvente.

A tecnologia WaveRoller deixa uma pequena pegada ambiental, o que a torna competitiva relativamente à energia eólica. A energia eólica requer o movimento do ar, que tem muito menos densidade do que a água, o que significa que as turbinas eólicas precisam de mais espaço e de ventos não perturbados para trabalhar com eficiência. Por outro lado, o WaveRoller aproveita ondas que transportam muito mais energia do que o vento, num parque de dimensões comparáveis. Assim, a tecnologia WaveRoller tem uma capacidade de produção de energia nominal cerca de sete vezes maior do que uma turbina eólica numa área de dimensões semelhantes. Deste modo, o impacto no meio envolvente e qualquer perturbação que lhe possa ser causada podem ser minimizadas nos casos que é utilizado o WaveRoller.

Para além dos baixos requisitos de espaço, os dispositivos WaveRoller funcionam debaixo de água, o que significa que têm muito pouco impacto visual. Geralmente são instalados em profundidades entre os 8 e os 20 metros e a altura do painel esta desenhada para minimizar ou eliminar por completo a sua visibilidade acima da superfície da água, assegurando a preservação da beleza natural do mar e da linha costeira.

Outra característica do painel WaveRoller é que ele segue o movimento da água, que é suave e relativamente lento (especialmente quando comparado com o vento). Este aspeto é importante no que diz respeito à interação com a vida marinha. É pouco provável que eventuais potenciais colisões da fauna marinha com o painel resultem em ferimentos, uma vez que os painéis se movem lentamente e em harmonia com o movimento da água.

O painel está ligado à estrutura, que, por sua vez, liga o dispositivo ao fundo do mar. A estrutura está desenhada para permanecer hermeticamente fechada durante dezenas de anos e está equipada com um conjunto de sensores e detetores que dão o alerta na improvável eventualidade de alguma vedação falhar. Este sistema isola o sistema hidráulico e protege o ambiente marinho dos ruídos produzidos pelo gerador.

No nosso parque de demonstração em Peniche, desenvolvemos um trabalho de cooperação com o Centro de Energia das Ondas para levar a cabo estudos e avaliações de acústica e de habitat marinho. Mesmo antes de o trabalho de pesquisa ter tido início, nós estávamos em condições de demonstrar o baixo impacto ambiental do WaveRoller. Com base neste pressuposto, foi dada a autorização para instalação em Peniche, que se situa numa área NATURA 2000, uma área de conservação da natureza da UE.